Xtygmax: Curiosidade sobre o MC Xtygmax

Xtygmax, também conhecido como Isidro Fortunato, compartilhou a 29 de Junho no seu mural do Facebook alguns dos seus “segredos” enquanto MC.

“Sempre que vou ao Studio para gravar, raramente levo meus versos escritos, nunca componho antes, normalmente componho mesmo no dia de gravar, escrevo tudo no momento e gravo no momento, desisti de escrever letras, quando um saco de 50 Kilos que eu punha todos meus apontamentos e letras, apanhou água da chuva e destruiu completamente anos de escrita, fruto deste trauma, hoje não consigo escrever e guardar letras para gravar como antigamente. Se as minhas emoções se conectarem em qualquer momento eu escrevo e gravo, e passei a chamar isto de Estilo orgânico, durante a minha vida li o suficiente para ter noção de muita realidade, e o estilo orgânico é o momento em que eu organizo o meu vasto acervo de informação natural para criar letras de raiz”

A seguir, Xtygmax, exemplificou com uma estrofe escrita e gravada no dia anterior deixando os seus seguidores espectantes.

“Desde 75 que vivemos como enteados/
Abandonados em guetos, nestes bairros suburbanos/
Menos 1 dólar por dia para viver no manicómio/
Canecas de kaporroto, corpos em coma alcoólico/
Vidas enterradas no meio de destroços/
Governados por vampiros sem valores nem propósitos/
Empurram o nosso povo para o fundo do poço/
E o único emprego, por aqui, é o desemprego/
Há sempre vagas nas esquinas e no próximo beco/
Delinquência dispara, é a lei da sobrevivência/
Vivemos nesta selva plantada pelo sistema/
Tiram-nos a cultura, roubaram-nos a essência/
Vivemos aprisionados sem celas, nem algemas/
Enquanto balas certeiras atravessam zungueiras/
Corpos que caiem levantam bandeiras/
Em nome dos excluídos nos somos a resistência”

Xtygma, notável activista cívico, percursor do movimento Ubuntu, é um Mc e BeatMaker de renome que juntamente com DnxL, Levell Kronikho, AM formam o colectivo de Rap “Invisíveis” que recentemente lançaram o álbum “Oculto”.

 

Escreva aqui seu comentário

Pizza Hut Franchise pede falência por causa do coronavírus
Invisíveis para Ngana: "Só nos resta dar a mão à palmatória e reconhecer o erro"