Funcionários de Joe Biden estão doado para grupo que paga fiança em Minneapolis. Politização do caso Floyd a vista?

Os funcionários da campanha do candidato democrata Joe Biden estão anunciando suas doações a um grupo que paga taxas de fiança em Minneapolis depois que a polícia da cidade prendeu pessoas que protestavam contra a morte de um homem negro por um policial branco.

 

Pelo menos 13 membros da equipe da campanha de Biden postaram no Twitter, na sexta e no sábado, que fizeram doações ao Minnesota Freedom Fund, que se opõe à prática de fiança em dinheiro, ou que faz as pessoas pagarem para evitar a prisão preventiva. O grupo usa doações para pagar taxas de fiança em Minneapolis.

O porta-voz da campanha de Biden, Andrew Bates, disse em comunicado à Reuters que o ex-vice-presidente se opõe à instituição de fiança em dinheiro como uma “prisão dos devedores modernos”.

Mas a campanha se recusou a responder perguntas sobre se as doações foram coordenadas dentro da campanha, ressaltando a natureza politicamente espinhosa dos protestos às vezes violentos.

Bates apontou para os comentários de Biden de que os manifestantes têm o direito de ficar com raiva, mas que mais violência não resolverá os problemas da justiça.

A campanha de reeleição do presidente Donald Trump no sábado disse que era “perturbador” que a equipe de Biden “apoiasse financeiramente o caos que está afetando pessoas inocentes e destruindo o que pessoas boas passaram a vida construindo”, em um e-mail sobre a história da Reuters que pedia Biden para condenar os tumultos.

Trump, um republicano que se descreveu como presidente de “lei e ordem”, chamou os manifestantes de “bandidos” na sexta-feira e no sábado disse que os estados e as cidades devem ficar “muito mais duros” com os protestos anti-policiais ou que o governo federal intervenha. usando as forças armadas e fazendo prisões.

Trump também expressou simpatia pelo caso de George Floyd, que morreu na segunda-feira depois que um policial o prendeu no chão ajoelhado em seu pescoço.

Não está claro quantas pessoas foram presas após quatro noites de protestos. O governador de Minnesota, Tim Walz, no sábado, disse que muitos dos presos foram de fora do estado.

Minnesota pode ser fundamental para determinar o vencedor da eleição presidencial de 3 de novembro.

A candidata democrata nas eleições de 2016, Hillary Clinton, venceu por pouco o estado com uma margem de 1,5 ponto percentual. Trump espera vencer o estado este ano e realizou uma grande manifestação em Minneapolis em outubro.

Trump lutou para atrair eleitores afro-americanos, com apenas 8% dos afro-americanos votando nele em 2016, de acordo com uma pesquisa da Reuters / Ipsos Election Day. No entanto, um declínio nacional na participação de eleitores negros em 2016 foi amplamente visto como contribuindo para a vitória de Trump.

Fonte: https://www.reuters.com/article/us-minneapolis-police-biden-bail-idUSKBN2360SZ?utm_campaign=trueAnthem%3A+Trending+Content&utm_medium=trueAnthem&utm_source=facebook&fbclid=IwAR1teJhX_ABH-goy0eqsjc4CziglHAFEzMVpaiO4y7qaz_2-TYC919zxCp8

Escreva aqui seu comentário

Microsoft substitui jornalistas por inteligência artificial no MSN
"O hip hop moçambicano é o melhor dos PALOP," afirma empresário Sidney Mavie.